segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Trabalho de campo em Campos do Jordão - SP com os alunos da Pós-graduação / Procad

Objetivo: Conhecer o parque estadual de Campos do Jordão, Unidade de Conservação de Proteção Integral inserido na discussão sobre paisagem e gestão dos recursos naturais. 

Serra da Mantiqueira, em São Paulo 

Do mirante é possível ver o relevo de mares de morros, estudo por Aziz Ab'Saber. 


Portal de entrada da cidade de Campos do Jordão 

Localizada na serra da Mantiqueira em altitude acima de 1.500 m. 
Na foto os alunos do mestrado de Geografia  que estão estudando no Programa de Pós-graduação de Geografia da USP.  Em trabalho de campo com a Professora Dra. Márcia Pimentel 

Mata de Araucária que compõe a paisagem dessa região. 

A Araucaria Angustifolia é uma espécie nativa encontrada na Mantiqueira e, principalmente, no sul do pais, no chamado Domínio das Araucarias. 

O Parque Estadual de Campos do Jordão é um Unidade de Conservação de Proteção Integral, administrada pelo governo do estado de São Paulo. Os alunos da pós-graduação percorreram um trecho da trilha da Cachoeira para observação da paisagem e da organização do espaço de uso público, além disso, conversaram com funcionários do Parque sobre gestão da unidade. Essa atividade prevista na disciplina Gestão  dos Recursos Naturais e Meio Ambiente, no tema Unidades de Conservação, ministrada pela Professora Dra. Márcia Pimentel no PPGEO (Programa de Pós-graduação em Geografia)  que incluiu também o trabalho de campo no Parque Estadual da Serra das Andorinhas em São Geraldo do Araguaia - PA e na Reserva Extrativista  de São João da Ponta - PA essa última um modelo de uso sustentável. 

sábado, 6 de dezembro de 2014

Confira o livro Memórias de São João da Ponta a partir de narrativas orais


"Não sabia nada, um pouco me ensinaram, aprendi indiretamente e aprendi diretamente e saí transformado".
(PORTELLI, 2005) 

Informamos que encontra-se publicado o lançado o livro "Memórias de São João da Ponta a partir de narrativas orais".

O livro é uma publicação que surgiu da demanda dos próprios moradores do município como uma ação a fim de preservar as memórias contidas nas narrativas dos moradores mais idosos das comunidades locais.  

Acessar livros no Google Play

Os livros impressos serão distribuídos entre os moradores e também serão disponibilizados nas bibliotecas das escolas como materiais paradidáticos sugestivos aos professores.  A versão digital do livro esta divulgada no blog do GEPPAM (http://geppam.blogspot.com.br) e no site http://historiaoral.com.br/saojoaodaponta. Podendo ser baixada e consultada na internet através do Google Play (http://books.google.com.br/books?id=puW4BQAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR#v=onepage&q&f=false).

Capa e contra-capa.
Este livro foi realizado pela Associação dos Usuários da RESEX de São João da Ponta (MOCAJUIM) em parceria com o Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental (GEPPAM). Com o patrocínio da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal do Pará (PROEX/UFPA) e apoio da Faculdade de Geografia e Cartografia da Universidade Federal do Pará (FGC/UFPA), Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio) e Prefeitura Municipal de São João da Ponta.


A obra não poderá ser comercializada de forma alguma. Sendo que o conteúdo completo da obra encontra-se disponível na internet para ser baixado. A cópias impressas do livro estão distribuídas entre os moradores do município, para os entrevistados e seus familiares e também serão distribuídas para escolas do município e nas bibliotecas da Universidade Federal do Pará e entre outros.

É uma satisfação muito grande para o GEPPAM poder ver essa obra retornar às mãos de seus legítimos autores, os moradores de São João da Ponta. Agradecemos a todos que colaboraram, direta e indiretamente com para viabilização dessa publicação. Que esta obra possa ser uma sugestão para a criação de outras.

Atenciosamente,
Walter Rodrigues.
(Autor do livro e responsável pelas entrevistas realizadas para esta obra)


IMPORTANTE SABER: Os nomes e as informações prestadas pelos narradores denominados neste site são respaldados pelo documento Autorização de Uso de Imagem, Som de Voz, Nome e Dados Biográficos em Obras de Preservação Histórica assinadas pelos mesmos. Toda informação aqui apresentada são autorizadas por seus autores para uso de fins didático.



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

GEPPAM faz pesquisa na Serra dos Martírios/Andorinhas, sudeste paraense

No dia 27 de outubro de 2014, o Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental (GEPPAM) realizou mais uma viagem à campo pelo projeto "Uso e Conservação dos Recursos Naturais em áreas protegidas no nordeste paraense". Desta vez, a pesquisa de campo foi realizada no município de São Geraldo do Araguaia, no Sudeste Paraense.

O objetivo principal da viagem de pesquisa foi conhecer um outro modelo de unidade de conservação, neste caso, uma APA (Área de Proteção Ambiental).

O Parque Estadual Serra dos Martírios/Andorinhas foi, em 1996, institucionalizado como Parque de Proteção Integral e fica localizado no interior de uma Área de proteção Ambiental (APA), ambos sob fiscalização da Secretária de Meio Ambiente (SEMA). O grupo conheceu a diversidade da flora da região, além de uma área de piscicultura, que fica dentro de uma propriedade privada.

Atravessando o Rio Araguaia, temos o município de Xambioá, no estado do Tocantins, aonde encontram-se figuras rupestres esculpidas às margens do referido rio. Em seguida, retornando à São Geraldo, tivemos contato com a  “pedra pintada” - rocha antiga com várias inscrições rupestres que são pontos turísticos e despertam a imaginação e curiosidade de seus visitantes. Pela presença de tais figuras, o Parque Estadual Serra das Andorinhas é o segundo maior sítio arqueológico da América Latina.

Agradecemos aos senhores Abel Pojo, gerente do Parque; Nilson Amaral, técnico; e a todos os estágios e funcionários do PESAM que contribuíram para a nossa pesquisa.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

GEPPAM realiza a V edição do "EntreMarés 2014: Compartilhando Saberes", no município de São João da Ponta

Nos dias 7, 8 e 9 de novembro foi realizada no município de São João da Ponta, nordeste paraense, mais uma edição do "Entremarés". Neste ano, o tema do evento foi "Manguezal: Geossistema, Território e Cultura" e teve como papel principal a aplicação de oficinas voltadas para a compreensão do ecossistema manguezal. 

Houve a aplicação de oficinas voltadas para diversos públicos, desde os alunos do 5º ano do ensino fundamental até professores da localidade.


PROGRAMAÇÃO

No primeiro dia do evento, as atividades focaram-se na aplicação de oficinas e abertura do evento. No segundo dia, houve a aplicação de oficina e trilha ecológica na comunidade de São Francisco. Já no terceiro dia, os alunos da Faculdade Maurício de Nassau fizeram trilhas ecológicas nas comunidades.

Ainda no segundo dia, ao final da trilha ecológica, aconteceu o tradicional "batismo no mangue", no qual alunos que nunca tinham entrado em contato, em campo, com esse ecossistema tiveram essa oportunidade.















Agradecemos a todos os alunos da UFPA e da Faculdade Maurício de Nassau, além dos membros da Associação dos Usuários da RESEX Marinha de São João da Ponta e moradores da localidade.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

PROGRAMAÇÃO DE OFICINAS

As Oficinas/atividades estarão divididas em 2 (dois) tempos e 1 (um) intervalo:
·         1º Tempo: 13:30h às 15:15h
·         Intervalo: 15:15h às 15:30h
·         2º Tempo: 15:30h às 17:30h

1º DIA – 07/11 – (SEXTA-FEIRA)
OFICINA 01 (2º ANO)
Tema: Brincando com a vivência no mangue.
Resumo:
Ministrantes: Ana Marcela, Tamires Drago e Valéria Suanne.
Horários: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 02 (3º ANO) / (5º ANO)

Tema: Jogo Didático Pedagógico “Geoquiz”.
Ministrantes: Hugo Pinon, Tássio Felipe, Denise Carla e Gisele dos Santos.
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h) (3º Ano) e 2º Tempo (15:30h às 17:30h) (5º Ano).  

OFICINA 03 (6º ANO)
Tema: Poluição no mangue, tô fora: A importância de práticas de educação ambiental com o ecossistema manguezal.
Ministrantes: Assucena da Conceição, Elivelton Sousa, Elizio Rodrigues e Thayssa Cristina.
Horários: 2º Tempo (15:30h às 17:30h)

OFICINA 04 (6ª Série)

Tema: A valorização do lugar através da representação cartográfica e da educação ambiental.
Ministrantes: Charles Paes, Magaly Caldas e Leon de Souza.
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 05 (2º ANO)

Tema:
Ministrantes: Brenda Larissa, Gilmar Martins, Ana Paula e Rodrigo Cunha.
Horário: 2º Tempo (15:30h às 17:30h)

OFICINA 06 (7ª Série)

Tema: Jogo de perguntas e respostas “Passa ou Repassa” ecológico.
Ministrantes: Carlos Ramon, Paulo Vitor e Rayssa de Cássia.
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 07 (PROFESSORES)
Tema: Um olhar inclusivo sob o manguezal: Reflexões e perspectivas na Educação Ambiental.
Ministrantes: Emanuelle Veloso, Luziane de Nazaré, João Cruz e Gabriel
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 08 (7ª SÉRIE)
Tema: Caminhar, Repensar pra equilibrar.
Ministrantes: Mailson, Roberta Fortes. 
Horário: 2º Tempo (15:30h às 17:30h)

OFICINA 09 (7 SÉRIE)
Tema: Um ensino a cerca da importância do manguezal para o ser humano e da preservação deste ecossistema.
Ministrantes: Elison Rodrigo, Rafael Ramos e Vitor Rodrigues.
Horário: 2º Tempo (15:30h às 17:30h)

OFICINA 10 (5º ANO)
Tema: Manguezal e sua importância: uma realidade global.
Ministrantes: Adriana de Araújo, Alessandra dos Santos e Ricardo Almeida.
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 11 (8ª SÉRIE)
Tema: Uma educação diferenciada sobre o manguezal para alunos do EJA
Ministrantes: Carlos Cavalcanti, Stalin Braga, Rodrigo Aguiar e Halessa Paixão.  
Horário: 1º Tempo (13:30h às 15:15h)

OFICINA 12 (6º ANO)
Tema: A educação ambiental na perspectiva inclusiva: primeiros contatos com a Libras.
Ministrantes: Emanuelle Veloso, Luziane de Nazaré, João Cruz e Gabriel Carvalho.
Horário: 2º Tempo (15:30h às 17:30h).

OFICINA 13 (PROFESSORES)
Tema: Ouça os mitos.
Ministrante: Professora Socorro Simões.
Horário:

OFICINA 14 (8ª SÉRIE)
Tema:  Alimentação Saudável e sustentabilidade: ênfase no aproveitamento dos alimentos
Ministrantes: Profa. Priscilla Ferreira e Prof. José Luiz.
Horário: 2º Tempo (15:30h às 17:30h)

PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES

08/11 – SÁBADO

2º DIA – 08/11 – SÁBADO
OFICINA 15 (COMUNIDADE SÃO FRANCISCO)
Tema: Vivendo a Floresta.
Ministrantes: Aline Souza, Mirian Maciel, Silvia Caroline e Carmena França.
Horário: 09:00

OFICINA 16 (COMUNIDADE PORTO GRANDE)
Tema: Educação Ambiental
Ministrante: Profª. Dra. Lídia Ferreira Martins
Horário: 09:00

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Acontece em Belém a 1° Assembleia Nacional dos Extrativistas Costeiros e Marinhos

Nos dias 14 a 19 de outubro de 2014, acontece em Belém do Pará a 1º Assembleia Nacional dos Extrativistas Costeiros e Marinhos, realizada pela CONFREM - Comissão Nacional de Fortalecimento das RESEX Costeiras e Marinhas -. 





A CONFREM nasce da necessidade de um espaço legítimo das lideranças das Reservas Extrativistas Costeiras e Marinhas em ter um espaço de interlocução comum. As lideranças buscaram se reunir em prol do fortalecimento da discussão do extrativismo Costeiro e Marinho no litoral brasileiro.

A missão da CONFREM é desenvolver. articular e implementar estratégias visando o reconhecimento e a garantia dos territórios extrativistas tradicionais costeiros e marinhos na dimensão social, cultural, ambiental e econômica, preservando os seus modos de vida e a produção sustentável. A comissão é formada por comunidades tradicionais como: pescadores artesanais, marisqueiras, catadoras de mangaba, piaçaveiros, tiradores de caranguejo, entre outros.