quarta-feira, 22 de julho de 2015

Estão disponíveis os novos relatórios do Instituto de Pesquisa Aplicada- IPEA. Confira!


      

Publicados e disponibilizados ao público os novos relatórios do Instituto de Pesquisa Aplicada – IPEA. O observatório analisou a política de regularização fundiária da Secretaria do Patrimônio da União nas áreas de várzea da Amazônia, cujo público alvo são as populações tradicionais que vivem e trabalham nas várzeas. O observatório analisou três territórios: Belém insular e Abaetetuba, Marajó e Xingu. Que resultou em três relatórios territoriais e um relatório final. E em breve será lançado o livro.
A seguir os links para acesso aos novos relatórios do IPEA que podem ser acessados na íntegra e gratuitamente:






Para acesso aos relatórios anteriores basta clicar aqui e aproveitar essa dica de aquisição de conhecimento e fonte de dados oficiais para enriquecer sua pesquisa.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Projetos de pesquisas são apresentados pelo GEPPAM ao Conselho Deliberativo da RESEX de São João da Ponta


Às 10:00 horas do dia  30 de abril de 2015 deu-se início a 20ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da RESEX de São João da Ponta. O gestor local, senhor Waldemar Londres Vergara Filho do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio, fez a chamada de todos os conselheiros presentes na reunião, que responderam levantando o braço em sinal de presença.
A professora Márcia Pimentel da Faculdade de Geografia da UFPA e dos programas de Pós-graduação em Geografia – UFPA e Ciências Ambientais – UFPA/EMBRAPA/MPEG e coordenadora do Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental – GEPPAM, falou sobre as atividades já desenvolvidas pela Universidade no município de São João da Ponta em parceria com a Associação dos Extrativistas da RESEX de São João da Ponta - MOCAJUIM desde o ano de 2010. Logo em seguida, a professora Márcia, apresentou aos presentes os projetos a serem desenvolvidos pela UFPA na RESEX através de seus alunos da pós-graduação em Geografia e Ciências Ambientais. 




Em seguida cada estudante falou sobre seus projetos e sobre suas expectativas, destacando a importância dessa troca e construção de conhecimentos entre a comunidade e a universidade.


Dado prosseguimento, o gestor deu início ao processo de homologação das propostas de trabalhos apresentadas, as quais foram aprovadas por unanimidade pelos conselheiros ali presentes. Sendo destacado que a importância e mérito social da pesquisa estão associadas ao SISBIO.


 Professores visitantes da Université Paris 13



Foram apresentados pela professora Márcia para os presentes, dois professores visitantes da Université Paris 13, da França, o senhores Pierre e Philippe. O professor Pierre Teisserenc falou da importância daquela reunião e do papel do agente ambiental voluntário no contexto da RESEX e lembrou-se de sua última visita a São João da Ponta em 18 novembro de 2011. Em seguida o professor Philippe Plas fez algumas considerações em francês sendo traduzido em seguida pelo professor Pierre. Lembrando que o professor Pierre Teisserenc já esteve em atividades desenvolvidas pelo GEPPAM na RESEX de São João da Ponta ministrando a palestra ”O território da Ação Pública”, onde foi discutido o papel do agente ambiental (animateur, animador em francês) dos parques da França e relacionados com o papel dos agentes ambientais das reservas extrativistas do Brasil. Ver postagem aqui!

Fotos: Wellingtton Fernandes e Walter Rodrigues.
Texto: GEPPAM.

domingo, 12 de abril de 2015

Começam as obras do viveiro de plantas de São João da Ponta -PA




Em breve será inaugurando na sede da Associação dos usuários da RESEX de São João da Ponta- MOCAJUIM, um viveiro Escola de Plantas Medicinais. Projeto este do Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental - GEPPAM da Faculdade de Geografia UFPA, com apoio da MOCAJUIM e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio e com o apoio técnico do Escritório da EMATER de São João da Ponta-PA. O projeto está andamento conforme as fotos.





 Em breve mais  um espaço de aprendizado e compartilhamento de saberes!

Fotos: Vergara Filho.
Matéria: GEPPAM.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Conheça o livro "Paisagens geográficas: um tributo a Felisberto Cavalheiro" - Download grátis!

Baixar livro!

Apresentação


A idéia de um livro abordando conceitos, métodos e técnicas de Ecologia da Paisagem surgiu durante as aulas de TEORIA GEOGRÁFICA DA PAISAGEM, ministradas pelo Prof. Dr. Felisberto Cavalheiro no Departamento de Geografia da FFLCH-USP, desde o início dos anos de 1990. O Prof. Felisberto, juntamente com seus orientados de Mestrado e Doutorado, organizaram o material das aulas para que, assim, formassem uma linha mestra para a publicação do livro. As temáticas e os capítulos aqui apresentados correspondem de certa forma, às aulas lecionadas pelo Professor. Infelizmente, a partir do ano 2000, o Prof. Felisberto passou a apresentar uma série de problemas de saúde, que resultaram em seu falecimento no ano de 2003. Não houve tempo suficiente para a publicação de obra tão importante. Em 2005, durante o EGAL (Encontro de Geógrafos da América Latina) no Departamento de Geografia da FFLCH-USP, eu, João Carlos Nucci, Andréa Presotto e Humberto Gallo Jr, nos reunimos para dar os encaminhamentos necessários à publicação da obra, fato que a princípio nos deixou muito desorientados, pois não contávamos mais com o apoio do nosso saudoso professor. Assim, distribuí entre os interessados em compor a obra, a cópia das transparências das aulas ministradas por Felisberto para que todos pudessem escrever o seu próprio texto, a partir das idéias e das temáticas já organizadas pelo Professor. João Carlos Nucci se encarregou de escrever os capítulos ligados à Ecologia da Paisagem e do planejamento de espaços livres no espaço urbano (juntamente com Andréa Presotto). Fabiane S. Toledo e Douglas G. Santos publicam pesquisa empírica, um estudo de caso, desenvolvido em Uberlândia/MG, sobre o índice de áreas verdes por habitante na área urbana da cidade, grande preocupação acadêmica de Felisberto Cavalheiro. Humberto Gallo Junior e Débora Olivato ficaram responsáveis pelos capítulos sobre legislação e políticas ambientais, unidades de conservação e gestão do território. Yuri Tavares Rocha escreveu sobre o PauBrasil e a Floresta Atlântica, um dos assuntos de sua tese de doutoramento orientada pelo professor Felisberto Cavalheiro. A Professora Lívia de Oliveira, numa homenagem emocionante, escreveu sobre sua especialidade, Percepção Ambiental, assim como as Professoras Marlene T. Muno Colesanti e Gelze Serrat Rodrigues, que se debruçaram sobre as temáticas da Educação Ambiental e Paisagem. O arquiteto Paulo Celso Dornelles del Picchia contribuiu com um importante capítulo sobre o histórico do ordenamento da paisagem. O Prof. Gert Gröening, orientador do Prof. Felisberto Cavalheiro na Alemanha nos anos de 1970, fez uma importante contribuição sobre a vida acadêmica do homenageado, e o seu texto foi traduzido para o português por João Carlos Nucci. A Profa. Vânia Rosolen apresentou um outro estudo empírico, base dos estudos da Paisagem, sobre a influência da pedogênese na transformação da paisagem natural na Amazônia. Eu, Prof. Douglas Gomes dos Santos, juntamente com a aluna de graduação em Geografia, Michelle Camilo Machado da Silva fomos os responsáveis por receber, organizar e colaborar com os autores. Tomava corpo, então, o livro em homenagem não só a Felisberto Cavalheiro, mas também à sua obra e sobre o conceito de Paisagem para a Geografia. A aluna Michelle teve, também, a importante incumbência de refazer todas as figuras constantes nesta obra.
Por fim, eu e João Carlos Nucci discutimos sobre a necessidade de incorporar à obra um texto do Prof. Felisberto, e a escolha foi um artigo publicado em 1994 em obra organizada por Samia Tauk, que é referência até os dias de hoje.

Uberlândia, Março de 2009. 
Prof. Dr. Douglas Gomes dos Santos 
Instituto de Geografia Universidade Federal de Uberlândia

Referência: PAISAGENS GEOGRÁFICAS: Um tributo a Felisberto Cavalheiro. /Organização de Douglas Gomes dos Santos e João Carlos Nucci. -- Campo Mourão: Editora da FECILCAM, 2009. 196 p.



segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Trabalho de campo em Campos do Jordão - SP com os alunos da Pós-graduação / Procad

Objetivo: Conhecer o parque estadual de Campos do Jordão, Unidade de Conservação de Proteção Integral inserido na discussão sobre paisagem e gestão dos recursos naturais. 

Serra da Mantiqueira, em São Paulo 

Do mirante é possível ver o relevo de mares de morros, estudo por Aziz Ab'Saber. 


Portal de entrada da cidade de Campos do Jordão 

Localizada na serra da Mantiqueira em altitude acima de 1.500 m. 
Na foto os alunos do mestrado de Geografia  que estão estudando no Programa de Pós-graduação de Geografia da USP.  Em trabalho de campo com a Professora Dra. Márcia Pimentel 

Mata de Araucária que compõe a paisagem dessa região. 

A Araucaria Angustifolia é uma espécie nativa encontrada na Mantiqueira e, principalmente, no sul do pais, no chamado Domínio das Araucarias. 

O Parque Estadual de Campos do Jordão é um Unidade de Conservação de Proteção Integral, administrada pelo governo do estado de São Paulo. Os alunos da pós-graduação percorreram um trecho da trilha da Cachoeira para observação da paisagem e da organização do espaço de uso público, além disso, conversaram com funcionários do Parque sobre gestão da unidade. Essa atividade prevista na disciplina Gestão  dos Recursos Naturais e Meio Ambiente, no tema Unidades de Conservação, ministrada pela Professora Dra. Márcia Pimentel no PPGEO (Programa de Pós-graduação em Geografia)  que incluiu também o trabalho de campo no Parque Estadual da Serra das Andorinhas em São Geraldo do Araguaia - PA e na Reserva Extrativista  de São João da Ponta - PA essa última um modelo de uso sustentável. 

sábado, 6 de dezembro de 2014

Confira o livro Memórias de São João da Ponta a partir de narrativas orais


"Não sabia nada, um pouco me ensinaram, aprendi indiretamente e aprendi diretamente e saí transformado".
(PORTELLI, 2005) 

Informamos que encontra-se publicado o lançado o livro "Memórias de São João da Ponta a partir de narrativas orais".

O livro é uma publicação que surgiu da demanda dos próprios moradores do município como uma ação a fim de preservar as memórias contidas nas narrativas dos moradores mais idosos das comunidades locais.  

Acessar livros no Google Play

Os livros impressos serão distribuídos entre os moradores e também serão disponibilizados nas bibliotecas das escolas como materiais paradidáticos sugestivos aos professores.  A versão digital do livro esta divulgada no blog do GEPPAM (http://geppam.blogspot.com.br) e no site http://historiaoral.com.br/saojoaodaponta. Podendo ser baixada e consultada na internet através do Google Play (http://books.google.com.br/books?id=puW4BQAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR#v=onepage&q&f=false).

Capa e contra-capa.
Este livro foi realizado pela Associação dos Usuários da RESEX de São João da Ponta (MOCAJUIM) em parceria com o Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental (GEPPAM). Com o patrocínio da Pró-reitoria de Extensão da Universidade Federal do Pará (PROEX/UFPA) e apoio da Faculdade de Geografia e Cartografia da Universidade Federal do Pará (FGC/UFPA), Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio) e Prefeitura Municipal de São João da Ponta.


A obra não poderá ser comercializada de forma alguma. Sendo que o conteúdo completo da obra encontra-se disponível na internet para ser baixado. A cópias impressas do livro estão distribuídas entre os moradores do município, para os entrevistados e seus familiares e também serão distribuídas para escolas do município e nas bibliotecas da Universidade Federal do Pará e entre outros.

É uma satisfação muito grande para o GEPPAM poder ver essa obra retornar às mãos de seus legítimos autores, os moradores de São João da Ponta. Agradecemos a todos que colaboraram, direta e indiretamente com para viabilização dessa publicação. Que esta obra possa ser uma sugestão para a criação de outras.

Atenciosamente,
Walter Rodrigues.
(Autor do livro e responsável pelas entrevistas realizadas para esta obra)


IMPORTANTE SABER: Os nomes e as informações prestadas pelos narradores denominados neste site são respaldados pelo documento Autorização de Uso de Imagem, Som de Voz, Nome e Dados Biográficos em Obras de Preservação Histórica assinadas pelos mesmos. Toda informação aqui apresentada são autorizadas por seus autores para uso de fins didático.



sexta-feira, 14 de novembro de 2014

GEPPAM faz pesquisa na Serra dos Martírios/Andorinhas, sudeste paraense

No dia 27 de outubro de 2014, o Grupo de Estudo Paisagem e Planejamento Ambiental (GEPPAM) realizou mais uma viagem à campo pelo projeto "Uso e Conservação dos Recursos Naturais em áreas protegidas no nordeste paraense". Desta vez, a pesquisa de campo foi realizada no município de São Geraldo do Araguaia, no Sudeste Paraense.

O objetivo principal da viagem de pesquisa foi conhecer um outro modelo de unidade de conservação, neste caso, uma APA (Área de Proteção Ambiental).

O Parque Estadual Serra dos Martírios/Andorinhas foi, em 1996, institucionalizado como Parque de Proteção Integral e fica localizado no interior de uma Área de proteção Ambiental (APA), ambos sob fiscalização da Secretária de Meio Ambiente (SEMA). O grupo conheceu a diversidade da flora da região, além de uma área de piscicultura, que fica dentro de uma propriedade privada.

Atravessando o Rio Araguaia, temos o município de Xambioá, no estado do Tocantins, aonde encontram-se figuras rupestres esculpidas às margens do referido rio. Em seguida, retornando à São Geraldo, tivemos contato com a  “pedra pintada” - rocha antiga com várias inscrições rupestres que são pontos turísticos e despertam a imaginação e curiosidade de seus visitantes. Pela presença de tais figuras, o Parque Estadual Serra das Andorinhas é o segundo maior sítio arqueológico da América Latina.

Agradecemos aos senhores Abel Pojo, gerente do Parque; Nilson Amaral, técnico; e a todos os estágios e funcionários do PESAM que contribuíram para a nossa pesquisa.